Language:

Ferramentas Econômicas para a Conservação

A Conservação Estratégica (CSF Brasil) implementou o curso de Ferramentas Econômicas para a Conservação, entre os dias 6 e 17 de Junho de 2011 
no Hotel Floresta Amazônica, em Alta Floresta, Mato Grosso. Esta edição do curso foi oferecida em parceria com a Fauna e Flora Internacional (FFI) e Fundação Ecológica Cristalino (FEC), com apoio da Fundação Gordon & Betty Moore.

Período de inscrições encerrado.

Iguaçu Falls

Economic Tools for the Conservation of Tropical Ecosystems

The main goals of this course were (i) to give ICMBio analists familiarity with the main concepts of economics and how these concepts apply to conservation of the environment and natural resources; and (ii) to teach them the basics of designing and analyzing the financial feasibility of tourism concessions in protected areas using a financial model developed by CSF (CONCESS 1.0). At the end of the course, CSF supported participants in structuring ideas on how to use the tool to analyze real concessions in Brazilian federal protected areas. The course presented the fundamental concepts of microeconomics, which deal with market theory, and then moved on to the area of environmental valuation and environmental policy.

Course with Surui Indigenous People

Intercâmbio de Ecoturismo de Base Comunitária na RDS Mamirauá

A CSF está apoiando os povos indígenas Paiter-Surui e Parintintin na elaboração de planos de negócios de ecoturismo indígena em suas terras. O objetivo do curso foi proporcionar a esses povos uma vivência em um projeto de ecoturismo de base comunitária de sucesso no Brasil. O programa do curso incluiu passeios de observação de fauna e flora e troca de experiência durante as visitas técnicas nos diversos setores da Pousada. Além disso, foram proporcionadas reuniões com os líderes locais, a fim de discutir o processo de implementação da atividade, e palestras com os comunitários envolvidos na iniciativa.

Amazonas

Ferramentas Econômicas para a Conservação de Ecossistemas Tropicais - Mata Atlântica

O principal objetivo desse curso foi familiarizar os parceiros da Aliança Mata Atlântica atuando em iniciativas associadas a serviços ambientais com os principais conceitos da economia e como esses conceitos podem ser utilizados na conservação da Mata Atlântica brasileira. O curso apresentou os fundamentos de microeconomia, da valoração econômica do meio ambiente e dos recursos naturais, do uso de instrumentos econômicos na avaliação de políticas ambientais e da análise custo-benefício de projetos.

i. Microeconomia (16 horas)
ii. Instrumentos econômicos e valoração ambiental (20 horas)
iii. Economia de recursos naturais (8 horas)
iv. Análise custo-benefício (20 horas)
v. Economia Experimental (4 horas)
vi. Estudos de caso (4 horas)

Bird photo

Ferramentas Econômicas para a Conservação de Ecossistemas Tropicais

O principal objetivo desse curso foi familiarizar os analistas da SMA/SP com os principais conceitos da economia e como esses conceitos podem ser utilizados na conservação da Mata Atlântica brasileira. O curso apresentou os fundamentos de microeconomia, da valoração econômica do meio ambiente e dos recursos naturais, do uso de instrumentos econômicos na avaliação de políticas ambientais e da análise custo-benefício de projetos. Ao final do curso foi realizada uma oficina que envolveu trabalhos em grupo na avaliação da aplicação potencial das ferramentas aprendidas pelos participantes em situações reais enfrentadas pela SMA no estado de São Paulo.

Oficina de Apoio à Elaboração de Planos de Negócios Socioambientais

O objetivo dessa oficina é preparar organizações locais na identificação e planejamento de investimentos em negócios que proporcionem a conservação dos recursos naturais e a geração de renda no sul do Estado do Amazonas e em terras indígenas de Rondônia. A oficina contará com treinamento sobre empreendedorismo e planos de negócios, análise de viabilidade econômico-financeira e uso do software MakeMoney 2.0. Ao final da oficina, serão estruturados 4 planos de negócios socioambientais. A CSF também dará suporte às organizações na finalização dos planos de negócios após a oficina.

Conteúdo geral da oficina:

1. Empreendedorismo e Negócios Sustentáveis

Marcos Amend featured on the North Bay's KRCB

For Conservation Strategy Fund's Brazil Executive Director Marcos Amend was featured on Santa Rosa, California's KRCB, discussing economic development as an alternative to deforestation in the Amazon basin. He also explores the work CSF does to prevent destructive roads from being built through the rainforest.

To hear what Marcos has to say, click here.

Tourism in Indigenous Lands

<

p>Indigenous people's lands are among the best preserved natural places. In the Amazon Basin, these vast tracts have lower rates of forest loss than national parks and are home to unique cultures, stunning scenery and high concentrations of biological diversity. But they are also beset by poverty and managed by native people looking for economic opportunities. CSF is working with the Suruí and Parintintin peoples to evaluate whether tourism could be one such opportunity for them. The project is a collaboration with the Suruí's Metareila Association, the Kanindé Ethno-environmental Association, the Amazon Conservation Team and the International Institute for Education in Brazil, who together form the Garah-Itxa Consortiun.

Economic Opportunity Cost Model for the Amazon

Solving our global climate crisis hinges on doing a number of things right. One is slowing - eventually stopping - deforestation, which now accounts for 15-20% of global greenhouse gas emissions. To do that we need to know how much stopping deforestation costs and where on the Earth's vast tropical belt it can be done most cost-effectively. With the support of the Gordon and Betty Moore Foundation, CSF has designed an "opportunity cost" analysis method that works at the level of individual farms and single land uses, even scalable up to the level of entire regions.

CSF letter published in The Economist

The May 8th - 14th, 2010 edition of The Economist published a letter by President John Reid and CSF course graduate and Fellow Wilson Cabral about the Belo Monte dam. The letter pointed out that the shaky economics of the dam will create pressure for even more dam development upstream of Belo Monte. Construction of the Belo Monte on the Xingu River is rapidly moving forward. But there are positive aspects to this story. A delay in the project of several years, partly due to CSF's 2006 study of the dam, has given time for protected areas and a big new carbon project to be consolidated. This will make it harder for additional big dams, which are the real threat, to be built upstream of Belo Monte on the Xingu.

Syndicate content