Língua:

Análises

A Conservação Estratégica apoia conservacionistas locais na utilização de ferramentas da economia que os permitam encontrar soluções inteligentes e eficientes para os problemas ambientais mais urgentes. Desde a sua criação, a CSF conduziu dezenas de estudos sobre ambientes florestais, fluviais e costeiros. A maior parte dos nossos projetos é focada nos Trópicos, pois estes apresentam níveis extraordinários de biodiversidade. Para maximizar a influência e a qualidade dos nossos estudos, nós envolvemos profissionais de renome e organizações conservacionistas em todos os projetos.

Estradas na Selva Maia

Vários projetos de estradas têm sido propostos para a região fronteiriça entre o México, a Guatemala e Belize. Essa região é parte da Floresta Maia, a maior área contígua de floresta das Américas, ao norte da Amazônia. As propostas aparentemente encontram-se fundamentadas no estímulo para o crescimento econômico e a redução dos altos índices de pobreza presentes nessa área. Contudo, em número maior e com melhoras, estradas trazem consigo mais pessoas e a expansão de fazendas. Por essas razões, tomadores de decisões na região se debatem com o aparente conflito entre a conservação e as metas de desenvolvimento. A questão seria se novas estradas seriam más ou boas para a região da Selva Maia.

Para ajudar a responder tal questão, a CSF trabalhou em conjunto com o Trópico Verde, a Wildlife Conservation Society (WCS), Unidos para la Conservación, ProNatura Península de Yucatán e a Universidade de Duke para analisar os impactos econômicos e ambientais das propostas de investimentos nessas estradas. Calculou-se os retornos econômicos para Guatemala e México referente a dois projetos que integrariam esses países por meio da Reserva da Biosfera Maia, área atualmente sem estradas. Taxas de deflorestamento, fragmentação de habitat e fogos florestais foram preditos para uma grande parte desses projetos. Mais especificamente, foram utilizados dois modelos separados para predizer esses impactos, um focado apenas na Reserva da Biosfera Maia na Guatemala e o outro mais amplo, analisando a área nos três países.

Descobriu-se que todas as propostas de novas estradas resultariam em perdas econômicas para a Guatemala e a maior parte trariam os mesmos resultados para o México (nenhuma das estradas prejudicaria Belize). Em adição, o time de pesquisadores descobriu que as estradas aumentariam substancialmente o número de fogos florestais e acelerariam o desmatamento. Num nível regional, seis amplas áreas de habitat da onça seriam cortadas em 16 fragmentos separados, complicando a sobrevivência desses abrangentes predadores.

Os parceiros da CSF WSC, Trópico Verde, Unidos para a Conservação e ProNatura Peninsula de Yucatán, apresentaram esses resultados amplamente na Guatemala e no México e até o presente momento têm sucedido na prevenção da construção das estradas mais prejudiciais ao meio ambiente.