Língua:

Reserva de Paracas

A reserva nacional de Paracas, no Peru é lar de diversas espécies de leões marinhos, lontras, vast anchovetta schools, patola-de-pés-azuis, Inca terns, flamingos, pelicanos, golfinhos e um grande número de molusco vieira. Essa imensa reserva tem sido amparada nos últimos anos por voluntários da guardaflorestal do parque, os quais trazem estudantes para manutenção da área protegida, limpeza das praias e promoção ao alcance das comunidades vizinhas. Apesar de muitas contribuições o financiamento para este programa é sempre uma questão de dúvida. Em 2000, a graduada do curso promovido pela CSF, Cecília Rivas, bióloga e agora professora da Universidade Ignacio de Loyola, no Peru, utilizou-se das habilidades aprendidas com o CSF para avaliar o valor da atividade dos voluntários.

Photo of yellow fishing boat on beach in Abrolhos

Monitoramento da Reserva Marinha de Abrolhos

Abrolhos literalmente significa “abridor de olhos”. O recife brasileiro de Abrolhos ganhou este nome devido às formações de corais únicas e porque suas águas rasas são frequentadas por um grande número de baleias “corcundas”. As peculiares cabeças de corais com o formato de cogumelos são em sua maioria compostas por espécies de corais existentes unicamente em Abrolhos. O alto grau de espécies endêmicas é resultado do total isolamento de Abrolhos de outros recifes de corais.

Ocean Economics - Gladden Spit, Belize

A CSF - Conservação Estratégica - está atualmente conduzindo pesquisas de avaliação econômica de áreas marinhas em Belize, no Panamá e no Brasil. Este trabalho é apoiado pelo programa Conservation International’s Marine Management Area Science Program e pela Gordon and Betty Moore Foundation. A avaliação de bens e serviços do ecossistema está sendo executada dentro de três áreas formalmente protegidas: Gladden Spit (Belize), Coiba (Panamá) e Abrolhos (Brasil).

Nosso trabalho de avaliação marinha em Belize irá qualificar e quantificar valores sociais e econômicos da Gladden Spit Marine Management Area (MMA). Determinaremos o valor econômico de ambientes naturais dentro do MMA sob as presentes condições e estimaremos valores futuros com cenários alternativos de gestão. No processo, visamos identificar métodos apropriados de pesquisa que serão repetidos ao longo do tempo e replicados em outros sítios marinhos. Será o primeiro estudo desse tipo em Belize.

O Belize Barrier Reef Reserve System foi declarado como uma herança mundial em 1996. A UNESCO fez a declaração porque “A área costeira de Belize é um importante sistema natural que consiste na maior barreira de recifes no hemisfério norte, atóis distantes da costa, várias centenas de bancos de areia, florestas de mangue, lagoas costeiras e estuários. Os sete sítios do sistema ilustram a história evolucionária de desenvolvimento de recifes e constituem um hábitat significativo para espécies ameaçadas, incluindo tartarugas marinhas, peixes-bois e o crocodilo marinho americano” (UNESCO, 2006). De fato, o Belize Barrier Reef (BBR) contribui com cerca de 30 por cento para o PIB de Belize, por meio de pescados comerciais (conchas e lagostas, os mais importantes entre eles), ecoturismo de alta qualidade e, mais recentemente, um grande crescimento de cruzeiros turísticos e vários investimentos do setor privado no desenvolvimento costeiro e aquicultura. Não obstante esses valores, o Belize Barrier Reef é ameçado por atividades humanas como o excesso de pesca, fluxo agrícola-químico e desenvolvimento costeiro. Essas ameaças estimularam muitas iniciativas de conservação por ONGs nacionais e internacionais que funcionam no país, incluindo a Nature Conservancy (TNC), Belize Audubon Society (BAS), World Resources Institute (WRI), the World Conservation Union (IUCN) e World Conservation Monitoring Centre (UNEP-WCMC). As fundações incluem a Summit Foundation, UNDP/GEF, a Oak Foundation e Earthwatch, entre outras.

Este trabalho será relevante para quatro grupos-alvo: aqueles que fazem políticas, gerentes de MMA [Ministério de Meio Ambiente], comunidades locais e acadêmicos. Este serão envolvidos desde o início, visando chegar a acordos sobre os objetivos e elaborar decisões-chave metodológicas e práticas, principalmente por meio de reuniões com Lindsay Garbutt, Coordenadora de Campo de Belize, e Venetia Allen, principal pesquisadora deste estudo na CSF. Comitês locais também serão mantidos atualizados com reuniões para relatório de progresso.

Economia no Oceano – Parque Nacional de Coiba, Panamá

A pesquisa de valorização marinha da CSF no Panamá focou-se nos benefícios provenientes do turismo e da pescaria nos arredores do Parque Nacional de Coiba, uma suntuosa ilha rodeada por recifes, que primordialmente serviu com uma remota colônia prisional. Nos ecossistemas do parque descobriu-se que este é responsável pela geração de mais de 325 postos de trabalhos, e mais, possui ainda um benefício de longo prazo de $20.5 milhões para pescaria, e $15.3 milhões no setor de turismo. Outra importante descoberta é o fato de que o parque não requer altos investimentos de infra-estrutura de visitação, a fim de atender as necessidades dos turistas.

Photo of a deep sea giant turtle swimming in clear tropical sea water.

Economia Oceânica – Coral de de Abrolhos, Brasil

O Fundo de Conservação Estratégica (CSF) atualmente está conduzindo uma pesquisa de avaliação econômica nas áreas marinhas em Belize, Panamá e Brasil. Esse trabalho está sendo apoiado pela Conservação Internacional (CI), como parte do Programa de Manejamento Marinho, na Área de Ciência. A valorização dos bens e serviços de ecossistemas está sendo executada formalmente em três áreas marinhas: Gladden Spit (Belize), Coiba (Panamá) e Abrolhos (Brasil).

Pagando para parques conservarem água: uma proposta para os Três Picos

Series number: 
3
Divulgar conteúdo