Idioma:

News

Nova publicação: estratégias para conservar manguezais em áreas protegidas brasileiras

É com grande prazer que a CSF-Brasil lança sua nova publicação "Os valores dos serviços ecossistêmicos dos manguezais brasileiros, instrumentos econômicos para a sua conservação e o estudo de caso do Salgado Paraense".

Cerca de 90% dos manguezais no Brasil estão localizados em Áreas Protegidas (AP). No entanto, existem deficiências importantes em termos de sustentabilidade financeira e gestão de recursos nas AP do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), afetando os estoques de capital natural, a biodiversidade e as comunidades locais que dependem dos recursos da natureza.

Neste contexto, a CSF-Brazil conduziu um projeto a respeito da gestão dos serviços ecossistêmicos de manguezais. O objetivo deste estudo é de sensibilizar o governo e a sociedade sobre os benefícios que os manguezais provém e trazer recomendações sobre instrumentos econômicos que poderiam ser utilizados para promover a sustentabilidade de AP com manguezais.

Para isso, redigimos 3 capítulos com os seguintes conteúdos:
1) descrição dos valores oferecidos por manguezais segundo a abordagem de serviços ecossistêmicos;
2) estimação dos valores dos benefícios dos serviços ecossistêmicos fornecidos pelos manguezais do Salgado Paraense, no norte do Brasil, abrindo a discussão sobre o dimensionamento eficiente de investimentos para a gestão do ecossistema; e
3) apresentação de instrumentos econômicos que podem beneficiar a conservação de manguezais.

CSF CDFW Economic tools for natural resource management
Uma passarela para andar por dentro da área de manguezal em Soure, no Pará.

Especificamente, estimamos os valores dos serviços ecossistêmicos providos pelos manguezais através do método de Transferência de Valores, em um estudo de caso na região do Salgado Paraense, no qual se encontra um dos maiores contínuos de manguezais do mundo.

O estoque pesqueiro dos manguezais está ameaçado devido ao uso de técnicas de pesqueira predatória e a efetividade na proteção dos manguezais é dificultada pelas importantes deficiências institucionais das AP da região, o que compromete as populações locais cuja segurança alimentar depende dos manguezais.

Visando buscar caminhos para superar estes desafios, revisamos as políticas que utilizam instrumentos econômicos para a gestão de manguezais e apontamos experiências bem-sucedidas em diversos países, destacando os Programas do Seguro Defeso e Bolsa Verde no Brasil.

Com esta pesquisa e discussão, espera-se trazer idéias que possam melhorar a configuração dos instrumentos econômicos, visando fomentar a conservação e uso sustentável de manguezais em AP no médio e longo prazo.

Este estudo teve o suporte do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com aporte financeiro do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) no âmbito do Projeto GEF Mangue (Projeto Manguezais do Brasil), e foi realizado em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) / Ministério do Meio Ambiente (MMA) / Governo Federal e o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO).

Clique aqui para baixar nosso estudo completo, aqui para maiores informações sobre nosso projeto, e aqui para ler sobre nossa viagem a campo para coleta de dados.

Crédito das fotografias: Camila Jericó-Daminello.